sábado, 7 de março de 2015

Rua de dentro


No dia em que resolvi
sair, foi assim: apaguei luz,
tranquei porta, escondi chave.
Abertos, porém, os olhos
de minha cega companhia
para ver o que havia em
minha mais negra escuridão.
Desde o dia em que resolvi,
saí. Pés no chão encerado,
deslizes pra dentro de mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...