terça-feira, 21 de junho de 2011

Céu de junho


Pedaço de céu de Aracaju/Foto: eu mesma

Se Volpi não pinta bandeirinhas,
ainda assim, são elas que vejo
em seus traços coloristas.
Entre um sacolejo de peneira, 
duas rodadas de babado
e uma pisada,
olho pro céu, meu amor.
É dele que chovem 
sanfona e pandeiro.

Você pode ir para Medida.

sábado, 18 de junho de 2011

Em tempo


Vislumbrando o lado de lá


Agora que me pouco tristo, 
O morro é leve
Inda que a vida 
Breve.