quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Festa na janela


Vejo um bem-te-vi bem-me-vendo por aqui.
Ver a ele não basta;
Bate no vidro e acusa que viu.
Mas não lhe bastando que eu saiba,
Sai levando notícia do achado,
E logo vejo mais três,
Do mesmo tipo, que bem-me-veem.
Será isso ou será somente
Que gostam do rio que me passa
E do mar que me ondeia?
Na dúvida, deixo uma árvore
Bem na beira da janela.
Bem-te-vi fazendo festa
Será por mim? Será pra ela?