sexta-feira, 10 de julho de 2015

De pedra e flor


carrego flores
mas não carrego flores 
somente.

vês o colorido em minha lapela
e não pões reparo nos bolsos de trás.
é lá que guardo todo cascalho
que me esfolia as vontades no caminho.

não é a flor, mas o grão de areia.
não é a flor, mas o seixo.
não é a flor, mas a pedra de cantaria.
isso é o que me desafia a ser quem sou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...