sexta-feira, 22 de abril de 2011

Historinha atual de casas grandes e senzalas

Chovia a moça, quieta. 
Sorvia pelas frestas 
Os aromas do terreiro. 
E,vinda longe, ouvia 
A voz desconcertante do vaqueiro.

Quer ler uma história? Para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...