sábado, 11 de setembro de 2010

Oba! Obama

Guardando aquele novembro de 2008

Nos mares, as dores
Renderam tambores
Carga humana
Origem - África

Mama

Duke Ellington, Armstrong
Charlie Parker, John Coltrane
Milles Davis, tantos pares
Som que o mundo

Aclama

Nos salões
Notas e passos
Segregados
Soam misturados

A trama

Nat King Cole, Jesse Owen
L. Hansberry, Ray Robinson
Sammy Davis Jr. e os Jacksons
Música, dança, palco, esporte

A fama

E vai à luta
Rosa Parks
Tomando assento
De seu direito

Alabama

Foram nove em Litlle Rock
Estudantes
No Ginásio
E a Guarda Nacional

Inflama

Dão-se à mistura
Sem medo da sorte
Negros e brancos
Na Carolina do Norte

O drama

Vence a porta
Da universidade
James Meredith
O Mississipi

Clama

Quarto de milhão
De negros e brancos
Em marcha a Washington
Por direitos civis

A rama

Verão de 64
Por nova lei
Estudantes, polícia e Ku Klux Klan
Novamente o Mississipi

Em chamas

Um Nobel
Ao nobre
Luther King
Direitos, integração e Paz

Proclama

Voto negro, negra voz
No Alabama
Realeza de King
Abre novo

Panorama

Malcolm X
No contraponto sangra
Black Power...
A dor

Exclama

Jesse Jackson, Young, Lewis…
Boas lições mandeláfricas
E uma voz soberana:
"I have a dream"

Obama

Destaca Harvard
Vence o pleito
Vence as torres
E o ataque

Osama

Diga ao mundo
Que o belo espelho
Da Casa Branca
Agora vê cabelos crespos

A dama

Salve a
esperança
A diferença
A igualdade
Salve a identidade


Hosana!


Poema já publicado no Overmundo, em nov/2008

2 comentários:

Diga, então...