quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Em guarda

Foto: Aglacy Mary

Que não nos abandone
a febre do peito
sentenciado
e não arrefeça em nós
o lume.

Que o precipitado

crepúsculo dos olhos
não nos faça renunciar
aos inéditos sabores
e ao destemido verso,
razão do êxtase
que não se entrega
ao sossego,
mas prefere as mãos
que nos tatuam linhas
sobre um canto qualquer
da alma.

Amém.



Você pode gostar de ler Oxidação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...