terça-feira, 1 de julho de 2014

Cabelo bom. Cabelo ruim - livro gratuito


"(...) Como lidar com o exercício humano de diferenciar sem que ele se torne discriminatório? O que fazer quando as crianças se dão conta da diferença entre a cor e a textura dos cabelos, os traços dos rostos, a cor da pele? Como evitar que esse processo se transforme em algo negativo e excludente? Como sugerir que as crianças brinquem com as diferenças no lugar de brigarem em função delas? (...)"
Leia "Cabelo bom. Cabelo ruim"
http://www.usp.br/neinb/wp-content/uploads/NEINB-USP-VOL-4.pdf
para evitar abordagens que provoquem em crianças negras, sobretudo nas meninas, a ideia de que seus cabelos crespos são esquisitos.


Daqui você pode ir até o meu mais curto poema: Atitude.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...