domingo, 16 de fevereiro de 2014

Passageira


todo dia treze eu vou.

vou me reduzindo ao fogo
que arde dentro
que é minha força
eu mesma
acesa em tudo à volta
eterna labareda.


todo dia treze.

queimo lentamente
a lista de compras
e os cartões de crédito
e me vão sobrando os poemas
e as pontes por que passaram
e as portas por onde entraram.

todo dia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...