terça-feira, 1 de maio de 2012

Identidade poética



Desprende-se um verso na contramão.
Onde sempre se encontrou alinho,
Esgueira-se a difusão,
Abre-se o descaminho.


Se pensa o verbo descorar-me, todavia, a tez,
Empedernido coração desperta e proclama
Jamais se dar aos braços almofadados da tepidez;
Enfrentar denodadamente o drama.


Podem esconder-se a rima e o riso,
Que teimam em confundir as verdades cruas,
Ou manter-se excessivamente o siso;
Que da poesia minha alma não se exclua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...