segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sensibilitas.atis


levei minhas sensibilidades
para tomarem sereno.
pensei em baixar a resistência
de algumas aptidões,
enfraquecer umas tendências,
fragilizar certas disposições,
abalar capacidades.

mas esqueci de que gotas
de sereno são como
golpes de ar e vento fresco
nas costas: males que moram
na crença de vó Zide.
agora resta torcer: que as
tais sensibilidades contraiam
um vírus e caiam de cama.

o fato é que todas elas
continuam aqui, à flor
da minha pele. e o sereno
se deu a animar
um pé de vida. um não.
dois. dois pés boêmios,
que já tirei pra dançar.



Você pode ler também O breu que é meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...