terça-feira, 5 de novembro de 2013

Vida de alpendre

Eu brincando de desenhar com parcos recursos

Há perigos no ter a alma no alpendre,
mas é bem ali que está o viver.

Do alpendre
ideias se podem adentrar
em cozeduras de mim.
Do alpendre
elas se podem espraiar,
ir além do jardim.

Do alpendre a alma se prende e chora.
Do alpendre ela se engrama e ri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...