sábado, 24 de dezembro de 2011

A quem educa boiada

 
Que quer um pai quando ao filho
entrega a sorte de ser
um boi a mais na boiada?
Se é mais fácil se iludir
no conforto de dizer
que o rebento vai ter companhia,
difícil será resgatar
um nome no meio do pasto,
um jeito de ser singular
no meio da zona plural.
Agora o que vale é a marca,
forjada a ferro ou a sedução,
Feito aquele jeans da moda. 
Agora são todos iguais...
Não que tenham mais direitos,
mas porque mesmo os defeitos
são produzidos em moldes.
Agora são todos felizes,
com planos onde não cabe o humano.
Ser gente vai ao nível do impossível,
ter ética passa a ser bem do passado.
Ainda queimo os miolos
para dar resposta à questão:
que quer um pai quando ao filho
entrega a sorte de ser 
um boi a mais na boiada?

Um comentário:

Diga, então...