quinta-feira, 25 de junho de 2015

Passa, mas não passa


todo amanhecer é um juntar de histórias.
o que aconteceu um dia não passa nunca.
o que passa [devagar como andor
em procissão de morto grande
ou num ligeiro de colibri a cortejar fêmea]
é a dor do sangue vertido em cada ato
é a sensação do gozo que foi alcançado.
todo amanhecer reúne vozes antigas.
o que aconteceu um dia não passa nunca.
mas passa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...