quinta-feira, 21 de maio de 2015

De passagem

Da janela - de Madri a Barcelona

No instante do acordar,
bem aquele em que meus
olhos piscam pro acender
e se lembram de que tudo
foi ontem, confiro o papel
da passagem e nem sempre
reconheço a estação. 


Bilheteiro, o destino!
A resposta é arranque
maquinado num verbo: 
seguir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...