sexta-feira, 5 de julho de 2013

Tramando o ócio


Dois pés de pau.
Um florido. De preferência.
E perfumado e sombroso.
O outro, se a sorte vier, dado a frutaria.
Entre os dois, há de se tecer a trama.
Que seja forte para sustentar
a leveza do sagrado ócio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diga, então...